Plano Terapêutico

Plano Terapêutico

1 - NOSSA FILOSOFIA

Estimula-se um tratamento de ajuda para dependentes químicos / alcoolistas e família para que se possa restabelecer seu padrão de saúde física, mental e espiritual sabendo reinserir de modo satisfatório no contexto familiar e social.

2 - Missão

Prestar serviço de qualidade na prevenção, tratamento e reinserção social de dependentes químicos e alcoolistas tendo uma visão integral do ser humano.

2.1 - Nossa Busca

Melhor qualidade de vida para os dependentes químicos e alcoolistas, visando um mundo livre de drogas e álcool.

3 - MODO DOS SERVIÇOS
3.1 - Chegada

O Centro Terapêutico Emannuel trabalha de forma holística com dependentes de drogas licitas e ilícitas. A Chegada é quando o paciente e a família vêm em busca de restabelecer o padrão de vida do dependente. Nesse momento, ouvem-se ambas as partes dependente/família, mostrando que o paciente necessita de cuidados especiais e diferenciados para o qual somos capacitados.

No primeiro momento em que se acolhe a família e o dependente pode-se dizer que é um dos momentos mais importantes, pois é nesse instante que colhem-se informações que vão nortear seu tratamento. Assim, saberemos conduzir um Plano Terapêutico Individualizado (PTI). Essas informações são colhidas por profissional de saúde que norteará seus futuros passos.

Depois são mostradas nossas acomodações, apresentando o cronograma, diário como as tarefas a serem feitas no dia. A admissão é feita por um profissional qualificado que busca colher informações que evidenciarão como era seu andamento anteriormente, como hábitos de vida, por exemplo, para tratamos de sua saúde mental e física, trabalhando o contexto familiar e social.

Após o preenchimento dos dados colhidos, informamos como é nosso tratamento, ideias e metas a serem cumpridas. Trabalhamos com uma equipe altamente qualificada em lidar com dependentes de drogas licitas e ilícitas. São profissionais com experiência que nortearão o PTI. Possuímos Médico, Enfermeira, Psicóloga, Terapeutas, Coordenadores, Monitores entre outros.

3.2 - Admisão
  • Preenchimento da folha de admissão, por Enfermeiro ou Técnico de Enfermagem. (Segue em consultório de enfermagem)
  • Consulta com Psicóloga, no momento da admissão ou no dia seguinte se houver necessidade, se não houver necessidade o paciente terá o atendimento psicológico no decorrer da semana de acordo com o cronograma da clínica.
  • Consulta com Médica, no momento da admissão ou no dia seguinte se houver necessidade, se não houver necessidade o paciente terá o atendimento médico no decorrer da semana de acordo com o cronograma da clínica.
  • Esclarecimento Familiar. Disponibilizamos paciente/família.
  • Cronograma. Disponibilizamos paciente/família.
  • Regimento interno. Disponibilizamos paciente/família.
  • Ficha de Internação. Disponibilizamos paciente/família.
  • Contrato de Internação. Disponibilizamos ao paciente/família uma lista de matérias fornecidos pela família no momento da internação.
3.3 - Parceria

É de suma importância traçar uma parceria com a família. Para melhorar a qualidade do tratamento prestado, trabalhar com a família também é muito benéfico porque quando o dependente sair das nossas acomodações ele vai ser reintegrar no contexto familiar e também no social.

Também contamos com palestras de demais pessoas que já foram usuários de drogas, cultos de adoração a Deus, trabalho com Narcóticos Anônimos (N.A.) alcoólicos Anônimos (A.A). 12 passos trabalho com artesanato e outros.

Sobre a doença da dependência química

A Organização Mundial de Saúde reconhece que as dependências químicas como doenças. Uma doença é uma alteração da estrutura e funcionamento normal das pessoas, que lhe seja prejudicial. Por definição, como diabete ou a pressão alta, a doença da dependência não é a culpa do dependente. O paciente somente poder ser responsabilizado por não querer o tratamento, se for o caso. Exatamente da mesma maneira que poderíamos cobrar o diabético ou o cardíaco de não querer tomar os medicamentos prescritos ou seguir a dieta necessária. Dependência química não é simplesmente “falta de vergonha na cara” ou um problema moral.

As dependências químicas não tem uma causa única, mas é produto de vários fatores que atuam ao mesmo tempo, sendo que às vezes, uns são mais predominantes que naquele paciente específico que outros. No Entanto, sempre há mais de uma causa. Por exemplo, existe uma predisposição física e emocional para a dependência, própria do individuo. Vivendo como um dependente, no paciente acaba tendo uma série de problemas sociais, familiares, sexuais, profissionais, emocionais, religiosos e etc., que são consequência e não causa de seu problema.

Por saber que é uma doença multifatorial, trabalhamos com outros artifícios que nos ajudam a restabelecer o padrão de vida, tais como elevação do pensamento em Deus e disciplina.

4 - FORMA DE ATENÇÃO PACIENTE/FAMILIA
4.1 - Esclarecimentos Familiares

Algumas regras são adotadas para proporcionar um melhor tratamento. São regras que medem os direitos e deveres dos pacientes. Dessa forma, a família/paciente saberá como ligar com essas normas. O Esclarecimento é dado para o familiar e paciente no momento do ingresso na Clínica.

Esse esclarecimento mostra como será a visita dos familiares, horário despertar; refeições; reuniões, entre outros.

É imprescindível que a família tenha consciência de que “cada caso é um caso” e em situações muito parecidas, a solução que serve para um dependente não serve para outro, e é por isso que há tantas e tão variadas formas de enfrenta-las. A participação pessoal do dependente é absolutamente indispensável para qualquer progresso do tratamento, sendo na maioria dos casos a mais importante, a perceber que o problema não será resolvido pelos outros, sentindo assim apoio dos familiares e amigos.

5 - METODOLOGIA

A metodologia utilizada está fundamentada no modelo de tratamento americano Minnesota que é uma versão institucional do método de tratamento aplicado pelos alcoólicos anônimos e adaptando ao contexto brasileiro. O referido modelo é aplicado através de grupos operativos, tarefas escritas relacionadas aos doze passos de A.A. (Alcoólicos Anônimos) e N.A. (Narcóticos Anônimos), reuniões sobre os passos, psicoterapias individuais e em grupo, palestras e assistência às famílias envolvidas, conscientização do processo de reinserção social e encaminhamentos sociais e profissionais.

A equipe multidisciplinar encarregada do tratamento é responsável por determinar a melhor abordagem a ser utilizada para o tratamento considerando a individualidade de casa residente. Basicamente, o tratamento no Centro Terapêutico Emannuel constitui-se de três fases:

1ª Fase: 1º ao 2º mês – Desintoxicação

Esta é a fase de adaptação à rotina da clínica a ao regimento interno, cujas atividades priorizam a conscientização do problema com a droga, acolhida espiritual, atividades expressivas e de alívio de ansiedade. São realizadas as avaliações, medicas, psicológicas e terapêuticas, avaliações quando às condições familiares e sociais e definidos o Programa Terapêutico Individual. Estimulamos a pratica do 1º. 2ºe 3º passos do AA , NA.

2ª Fase: 3º ao 4º mês- conscientização

O objetivo desta proposta acontece durante todo o processo terapêutico e visam:

1. Manter a adesão do residente ao tratamento;

2. Transmitir informações com relação ao uso de substâncias psicoativas;

3. Desenvolver autoestima;

4. Acompanhar o contato sócio familiar;

5. Oferecer estratégias para um novo estilo de vida;

6. Trabalhar estratégias de prevenção da recaída;

Nesta etapa do processo terapêutico, trabalha-se o 4º, 5º, 6º e 7º passos do AA, NA.

3ª Fase: 5º ao 6º mês – Ressocialização.

Do quinto ao sexto mês destina-se à preparação para o retorno do residente ao convívio social. Neste período, atividades de ressocialização como frequência em grupos anônimos, saídas terapêuticas e também são preparadas visitas assistidas as famílias e as comunidades de origem , para retorno do paciente ao seu local de convívio mediante avaliação técnica e familiar. Trabalhamos o 8º, 9º, 10º, 11º e 12º passos AA, NA.

Algumas das atividades que o programa Terapêutico oferece, são:
  • Laborterapia;
  • Grupos terapêuticos;
  • Dinâmicas em grupo;
  • Acompanhamento psicológico individual;
  • Atividades esportivas;
  • Grupo de oração;
  • Orações diárias;
  • Palestras sobre assuntos diversos: dependência química, sexualidade, narcóticos anônimos, primeiros socorros, etc.;
  • Cursos profissionalizantes em diversão áreas;
  • Atividades esportivas recreativas;
  • Atividades celebrativas (aniversariantes datas comemorativas, etc.);
  • Atendimento aos familiares;
  • Vídeo terapia.
6 - PLANO TERAPÊUTICO INDIVIDUALIZADO – PTI

O programa terapêutico individualizado (PTI) é instrumento de manuseio da equipe de profissionais no qual são reunidos todos os documentos relativos a intervenções no tratamento para aquele residente em especifico, e este tem conhecimento do que lhe é planejado, a fim de alcançar a evolução no tratamento. No prontuário estão contidas as ferramentas que materializam as intervenções e a evolução, sendo que o plano terapêutico individualizado é o que dará norte a esta série de intervenções, buscas e construção da recuperação com o residente.

7 - TIPOS DE ATENDIMENTOS
7.1 - Individual

a) Psicoterápico/Psicológico: É feito semanalmente, mas em casos que necessita de maior atenção, pode ser feito um atendimento mais uma vez por semana.

b) Medico: Realizando atendimentos semanalmente, o profissional de medicina acompanha os casos em que se faz necessário o uso de farmacológicos para a desintoxicação, bem como para a estabilidade emocional e parte física do residente.

7.2 - Atendimento grupal

a) Grupo psicoterápico: No setor de psicologia é realizado trabalho em grupo com os pacientes, semanalmente.

b) Oficina Terapêutica: Trabalho com pintura, reciclagem, desenhos, etc. realizado com profissionais capacitados.

7.3 - Atendimento a Família

O atendimento familiar é um trabalho que serve para elucidar o trabalho feito com o paciente. É feito por meio de recurso de telefone e quando tem a visita da família com o paciente, é realizado pessoalmente.

8 - NOSSA IDEOLOGIA

Levar a melhoria do padrão de vida do paciente, família e sociedade com enfoque de trabalho com profissionais capacitados, mostrando transparência e mesclando boa metodologia e didática.

A reinserção social é algo trabalhado diariamente, para que, o paciente possa lidar adequadamente com seus conflitos pessoais, sabendo controlar sua compulsão, quando obtiver alta.

Centro Terapêutico Emannuel

"Resgatando e Transformando Vidas"